Notícias

20/11/2018

Economia Analítica: construir conhecimento é diferente de fazer gráficos

Interpretar os dados, entender a origem e compartilhar seu entendimento de forma clara e objetiva destaca profissionais no mundo corporativo

 

Você já parou para ver o volume de dados gerado pela sua empresa em um dia de operação? E quanto disto é aproveitado como informação quando se precisa decidir algo?

São informações de movimentação financeira, comportamento de clientes, atividades de funcionários, apontamentos de produção, etc… enfim, dados valiosos para as empresas que podem utilizá-los para reconhecer tendências de comportamento de seus organismos, prever ações de mercado, clientes e concorrência, além de servir de base para possíveis inovações e desenvolvimento de negócios.

Alguns estudos tendam quantificar em informação binária o volume de dados gerado em todo o globo terrestre. Independente de metodologia, do índice ou percentual de crescimento apresentado, é nítido a todos que estamos expostos a uma infinidade de dados hoje em dia. A todo momento, em qualquer lugar, dispositivos, softwares, wearables captam informações e encorpam um banco de dados monstruoso que se torna um desafio pujante. Uma luta constante para organizar estes dados, conseguir interpretar e gerar um conhecimento a partir deles para que possa ser usado em favor de nossas empresas, nossas vidas, nossas decisões.

O cenário contemporâneo, definido por alguns especialistas como da Economia Analítica, requer que seja desenvolvida uma inteligência para entender quais dados são importantes, dentre tantos que estão ao nosso alcance, bem como desenvolvamos maneiras eficazes de acessá-los e trabalhar com os mesmos antes de se tornarem obsoletos. Aí vem a grande premissa deste momento: encontrar sentido dentre as tantas informações para que as pessoas consigam ultrapassar as barreiras que se erguem a sua frente diariamente.

Integração de dados de fontes internas e externas, automação via inteligência artificial, softwares com poder de cálculo e análises preditivas, enfim, qualquer que seja a evolução tecnológica que você tenha à disposição, sem a construção de uma mensagem clara e sem o compartilhamento deste conhecimento com as pessoas certas no momento oportuno, todo o processo estará comprometido.

Conhecer os dados, a origem das informações, interpretá-las, construir um raciocínio para explicar como é, porquê é, quem é, etc… e ainda ter a capacidade de compartilhar com uma linguagem clara e objetiva para que o grupo consiga construir conhecimento: esta é uma habilidade fundamental no processo de análise e que tem se destacado no mundo empresarial.

 

Por Daniel Germano Scheidt

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para comentar resolva o cálculo abaixo: *